Carol Dartora pede ao MP prisão do homem que espancou músico negro em Curitiba

Agressor está solto e, segundo testemunhas, continua espancando outras pessoas negras

A vereadora de Curitiba e deputada federal eleita, Carol Dartora (PT), encaminhou nesta segunda-feira (28) ao Ministério Público do Paraná um pedido de prisão do homem que espancou o músico negro, Odivaldo Carlos da Silva, conhecido como Neno. O crime aconteceu no dia 22 de novembro, na região central de Curitiba e foi registrado por câmeras de um condomínio.

Identificado pela polícia como sendo Paulo Cezar Bezerra da Silva, o suspeito de praticar o crime está solto e, de acordo com novas informações recebidas pela parlamentar, continua espancando outras pessoas negras na cidade.

“O que se observa, é a urgente necessidade de requerimento de decretação de prisão preventiva do agressor, em conformidade com o art. 312, do Código de Processo Penal, estando demonstradas a necessidade de garantia de ordem pública, a conveniência da instrução criminal – uma vez que o autor também ameaçou testemunhas -, bem como o receio de perigo e existência de fatos novos que justificam a aplicação da medida a ser adotada”, destaca Carol Dartora no pedido enviado à Promotoria de Direitos Humanos Criminal.

Dartora também enviou ofício à Defensoria Pública do Estado, Conselho Nacional de Direitos Humanos e à Assessoria Municipal de Direitos Humanos de Curitiba solicitando acompanhamento do caso e providências para que os atos praticados não fiquem impunes.

“O que a gente consegue perceber nas imagens é mais uma vez a violência que acontece nas ruas de Curitiba. Uma violência racista. Mais uma vez, aquilo que a gente tanto denuncia se explicita. Essa violência racista que fica impune. A gente vai acompanhar esse caso, vamos exigir justiça. As autoridades precisam se movimentar para punir essa situação tão bárbara que aconteceu na nossa cidade,” disse Dartora.

Racismo

Armado com faca e cassetete, o homem espancou o músico Odivaldo Carlos da Silva, também conhecido como Neno, e ainda ordenou que o seu cachorro mordesse a vítima. Testemunhas garantem que Neno foi vítima de racismo, pois o agressor já teria sido visto, dias antes, chamando Neno de macaco.

O criminoso foi identificado pela polícia como sendo Paulo Cezar Bezerra da Silva. De acordo com as informações, enquanto atacava o músico, ele demonstrava o comportamento de um neonazista e dizia frases como “é morador de rua, tem que apanhar”.

Odivaldo teve um dente quebrado e levou vários golpes na cabeça, na boca, na nuca, no peito, além das mordidas do cachorro. O caso aconteceu na tarde da última terça-feira (22), durante a semana da Consciência Negra.

O criminoso chegou a ser levado para a delegacia, mas não há informações se permanece preso. O caso foi registrado pela Polícia apenas como lesão corporal e a autoridade policial marcou uma Audiência Preliminar para 20 de março de 2023, ou seja, 118 dias após o crime.

Novas imagens

Após a divulgação do vídeo com as agressões contra Neno, o mandato de Carol Dartora recebeu novas imagens de outro ataque que, segundo as testemunhas, seria o mesmo homem contra outra pessoa na cidade de Curitiba, confundida por ele como pessoas em situação de rua.

As imagens mostram o criminoso usando um cassetete para agredir um jovem e ordenando um cachorro a atacar a vítima. Segundo informações, o caso teria ocorrido na última quarta-feira (23).

Populares observam a cena e uma mulher afirma que o criminoso bateu com o cassetete no rosto da vítima. Outra pessoa relata que uma faca utilizada pelo agressor caiu no chão.